Emergência climática: Cobertura de água no Brasil diminuiu 6,3 milhões de hectares nas últimas quatro décadas

Print Friendly, PDF & Email
Rios Mata Ciliar SOS Mata Atlantica

Cobertura hídrica natural está encolhendo no . Foto: Fundação SOS Mata Atlântica/Divulgação

https://oeco.org.br/noticias/cobertura-de-agua-no-brasil-diminuiu-63-milhoes-de-hectares-nas-ultimas-quatro-decadas/

CRISTIANE PRIZIBISCZKI · 

26 de junho de 2024

[NOTA DO WEBSITE: Pode ser que algum dos leitores ache que somos cargosos e que não temos ‘consideração' pelo agornegócio e seus crentes. Mas vendo uma notícia como esta, como podemos ficar senão, no mínimo, indignados e revoltados com o que esses ‘brasileiros', como os portuguêds do século XV, fazem com nossos biomas e sua gente, humana ou não-humana. Estados que têm em seu próprio nome, a identificação com a floresta e suas riquezas endêmicas, hoje definham e secam. Mas como supremacistas e com sua arrogância e despreparo, através do arrasam com tudo e com todos. E agora, como será o futuro de nossos filhos e todas as descendências que virão depois de nós? Simplesmente por dinheiro, que só os supremacistas brancos eurocêntricos ficam, todo o patrimônio que é de todos os nascidos no Brasil e no Planeta, está sendo literalmente devastado. Assim, ao tratá-los como criminosos, são os fatos que os define como tal e não nós!].

Em 2023, metade das bacias hidrográficas do país estiveram abaixo da média histórica. MS e MT perderam, juntos, 537 mil ha de superfície de água.

Os corpos hídricos naturais do Brasil estão encolhendo. Quando comparada a superfície do território brasileiro coberta por água em 2023, em relação a 1985, a redução foi de 6,3 milhões de hectares, uma queda de 30,8%. Os dados, publicados nesta quarta-feira(26), são da nova coleção do MapBiomas Água.

Segundo a organização, os biomas estão sofrendo com a perda da superfície de água desde 2000, com a década de 2010 sendo a mais crítica. Em 2023, a água cobriu 18,2 milhões de hectares do país, o que representa uma queda de 1,5% em relação à média histórica. O último registro de retração da superfície hídrica no Brasil havia sido em 2021, quando houve uma redução de 7%.

O MapBiomas alerta que essa retração está se dando nos corpos hídricos naturais, como rios e lagos. As outras superfícies cobertas por água, como reservatórios, e aquiculturas, por exemplo, estão crescendo. Somente os grandes reservatórios cresceram 26% em 2023, em relação a 1985.

Em 2023, metade das bacias hidrográficas do país estiveram abaixo da média histórica. Os casos mais severos aconteceram nos estados de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso, com perda de superfície de água de 274 mil hectares (-33%) e 263 mil hectares (-30%), respectivamente. 

Quando o recorte é para os municípios, a situação de retração se mantém. De acordo com o MapBiomas, 53% dos municípios – ou 2.925 – apresentaram superfícies cobertas por água abaixo da média histórica.

O município de Corumbá (MS) foi o que mais perdeu superfície de água em 2023, em relação à média histórica: 261 mil hectares, ou -53%. Corumbá também é a cidade do bioma Pantanal com maior área perdida para o fogo. Somente este ano. 348 mil hectares de vegetação nativa neste município foram destruídos pelo fogo.

Entre os biomas, a foi o que perdeu maior extensão de áreas cobertas por água. Neste bioma, a perda em 2023 foi de 3,3 milhões de hectares, quando comparada com a superfície coberta no ano anterior.

Em termos de porcentagem, o Pantanal foi o bioma que mais secou desde 1985. Ao longo das últimas décadas, houve redução de área alagada e do tempo de permanência da água. Em 2023, a queda foi de 61%, em relação à média histórica. 

“Enquanto o e Caatinga estão experimentando aumento na superfície da água devido à criação de hidrelétricas e reservatórios, outros, como a Amazônia e o Pantanal, enfrentam uma grave redução hídrica, levando a significativos impactos ecológicos, sociais e econômicos. Essas tendências agravadas pelas ressaltam a necessidade urgente de estratégias adaptativas de gestão hídrica”, destaca Juliano Schirmbeck, coordenador Técnico do MapBiomas Água.

Gosta do nosso conteúdo?
Receba atualizações do site.
Também detestamos SPAM. Nunca compartilharemos ou venderemos seu email. É nosso acordo.